RCICLA - Parque das Nações. Lisboa

Quando em Lisboa se fala de bicicletas tem de se falar do Vítor e da sua RCICLA. A loja antiga, na Av. 24 de Julho, fechou.  Mas a icónica RCICLA mudou-se  para o outro lado da Cidade. Duma grande loja o Vítor cometeu o milagre de fazer uma muito mais pequena. Pode não caber lá tudo o que cabia na antiga mas o espírito e a estética mantêm-se . O Vítor reinventou o espaço e  transportou toda a magia e carisma da RCICLA para o Parque das Nações.

_F5A8447.jpg

A sua primeira loja abriu-a na Holanda e foi aí que descobriu que existem Bicicletas e bicicletas, “ se é que me entendem”

“Passar da 24 de Julho para outra zona da Cidade não foi fácil mas era a única opção, não podia continuar na antiga loja”. E sobretudo o que interessa é o carisma e isso espera que continue presente nesta nova localização. Nós dizemos que está lá tudo.

_F5A8453.jpg

RCICLA- Parque das Nações-Lisboa

The Fietsen Shop. Parque das Nações. Lisboa

_F5A8343.jpg

O Nuno é muito novo e arriscou abrir uma loja de bicicletas em Lisboa. É uma loja diferente, com produtos diferentes e em alguns casos exclusivos. É uma loja simples e bonita e o Nuno encanta com a partilha da sua paixão. Tem muitas ideias para por em pratica e muitos sonhos. Um deles é que Lisboa se torne nua cidade cheia de bicicletas e com todas as condições para que isso aconteça.

Apresento-vos o Nuno e a sua Fietsen Shop, no Parque das Nações.

LC-O que te influenciou a montar uma loja de bicicletas em Lisboa?

Nuno- Desde de pequeno que adoro andar de bicicleta, mas o problema era mesmo a segurança que o nosso país oferece a quem quer andar de bicicleta. Nunca me deixavam sair de casa para andar de bicicleta porque era perigoso então a minha paixão pelas bicicletas foi morrendo. Até que pela primeira vez fui à Holanda e andei por todo o lado de bicicleta. As bicicletas era completamente diferentes daquelas que estava habituado a ver cá em Portugal. Eram bicicletas muito confortáveis e que tornavam as deslocações dentro das cidades muito mais práticas. Eram bicicletas mais robustas e de pouca manutenção, comparando com as bicicletas de que estamos habituados em Portugal. Desde esse momento, que fui visitar os Países Baixos, a paixão pelas bicicletas renasceu e queria me envolver com o aparecimento da cultura das bicicletas em Portugal. Então decidi abrir uma loja de bicicletas urbanas, ao estilo Holandês.

LC- Qual o teu objectivo?

Nuno-Com esta loja o meu objectivo é incentivar as pessoas a trocarem o carro pela bicicleta e a espalhar a cultura que aprendi na Holanda, cá em Portugal. Com isso pretendo clientes que não sabem o que procuram em termos de bicicletas para andar diariamente em Lisboa. Procuro pessoas que querem saber qual é a melhor bicicleta para eles para deixarem o carro em casa e irem a pedalar até ao trabalho.

LC- Para além da venda de produtos e bicicletas tens outras idéias para dinamizar a loja,? Pretendes realizar outras actividades?

Nuno- Outras actividades que estamos interessados em fazer na loja é aulas para crianças e adultos que querem aprender a andar de bicicleta. Outras actividades que temos interesse em trabalhar é em passeios de bicicletas clássicas, ao estilo dos passeios das Pashley que existe no Reino Unido, algo mais descontraído para relaxar aos fins-de-semana.

LC- Que achas da evolução do uso da bicicleta em Lisboa? Sentes que há mais gente a andar e que será uma evolução consistente ou apenas uma moda?

Nuno- Em Lisboa, as condições para andar de bicicleta melhoraram muito, comparando com há 5 anos atrás. Foram construídas ciclovias, algumas ruas foram tornadas vias partilhadas entre carros e bicicletas e quase que se consegue ir de uma ponta a outra da cidade tudo em ciclovia. O problema é que faltam muitos pormenores que são essenciais para tornar Lisboa uma cidade mesmo ciclável. Se a própria Câmara de Lisboa não quiser que as bicicletas e as trotinetes sejam só uma moda passageira e que seja mesmo um novo estilo de vida, é necessário que acerte certos pequenos pormenores que fazem uma grande diferença para quem quer trocar o carro por uma bicicleta ou uma trotinete. Estou a falar de haver uma entrada suave entre as passadeiras e o passeio para que as bicicletas subam facilmente, identificar muito bem onde estão as ciclovias e para onde vão as ciclovias, não criar ciclovias soltas sem que haja uma continuação para outra ciclovia e mesmo criar muito mais parques de estacionamento seguros para bicicleta

LC- Como gostarias que fosse a Lisboa do futuro no que respeita a mobilidade?

Nuno- Eu ainda imagino que Lisboa vá ser uma Leiden ou uma Utrecht, em que o centro da cidade está cortado para os carros, as ciclovias são as antigas estradas de carros, existem passeios gigantes onde as pessoas podem andar e passear descontraídas e sem se preocuparem com os carros e há parques de estacionamento internos gigantes onde se pode estacionar a bicicleta pagando um pequeno valor. É uma realidade que ainda está um pouco distante, mas se esta cultura não for só uma moda e desde que a Câmara se envolva na promoção dos meios alternativos de mobilidade, com a criação de novas condições e ao melhorar as antigas infraestruturas para as bicicletas, pode ser que Lisboa venha a ser um exemplo para todo o Portugal e que venha a ser uma cidade 100% ciclável. É para isso que estou cá! Para ajudar e fazer os possíveis para que Lisboa seja uma cidade de bicicletas e para as bicicletas.

Podem consultar aqui o Site da loja https://thefietsenshop.com/