L'Eroica, Gaiole in Chianti 2018

7a283d53564c923e4e2d27e6ad39832645f8c4f6.jpg

Em Outubro voltei com o meu amigo Salvador a Gaiole in Chianti na Toscânia para mais uma L’Eroica, a maior e mais importante Eroica do calendário anual. Decidimos ir já um pouco em cima da hora e a única maneira de ir  foi apanhar o Avião para Roma e depois fazer cerca de 250 Km de carro para Gaiole. Duro, mas como se costuma dizer ”Quem corre por gosto não cansa”. E assim foi, ou quase, porque já não temos idade para tanto reboliço.

Mas valeu a pena, se valeu. As paisagens da Toscânia são incríveis e o ambiente que se respira neste encontro é incomparável.  Bicicletas de todos os tipos, antigas , bem antigas, gente de todo o mundo. Ambiente de grande festa e confraternização, algo de muito especial e único que nos enche a alma de contentamento e nos renova as energias.

A tarde de sábado foi passada em “deambulação”  pelas diversas e numerosas bancas que tudo vendem, desde peças a lindas bicicletas, de roupa a  acessórios de todos os tipos. Eu  e o Salvador lá íamos resistido a tanta tentação.  Mas não foi fácil. Nessa noite fomos convidados para um maravilhoso jantar de comida e vinho Toscano. A organização estraga-nos com mimos que não merecemos.

_DSF8420.jpg

No domingo a alvorada, a nossa, tocou ás 4,00. A casa de banho onde os primeiros “estremunhados” do camping já estavam em actividade estava animada. O Domingo é um dia longo e queria partir com os primeiros a sair, sentir-me como os “Eroicos” que vão fazer mais de 200 Km , muitos deles só chegando quando a noite já os volta a abraçar. Queria sentir essa sensação, de partir e fazer parte do percurso com eles. Um dia penso que o farei todo, mas esse dia ainda estará para vir. E assim foi, levantei-me pelas 4,00 horas e ás  5,00 estava na linha de partida.  E com eles parti, com gente alegre e faladora, com gente mais compenetrada, com gente mais tímida mas com um objectivo comum: Chegar ao fim e faze-lo divertindo-se e sem qualquer tipo de competição. E com eles fui até ao Eroica Caffé, em Brolio. Noite cerrada, chuva miudinha e muita mas muita vontade de andar de bicicleta e percorrer aqueles maravilhosos caminhos em excelente companhia.

Saímos de Brolio e começou a amanhecer, uma manhã fria e sem sol, muito húmida, mas a alma e o coração iam quentes.

_DSF8825.jpg

Zona de Vinhos, do famoso vinho Chianti, onde as vinhas são presença constante.

Uns quilómetros depois deixamos a companhia destes amigos e seguimos um caminho mais curto. Vamos encharcados. Um pouco mais á frente o Salvador decide fazer um outro trajecto. Sigo solitariamente pelos caminhos de terra batida, a famosa “strada bianca” que tantas páginas de literatura inspirou e tantas lendas criou. Vou debaixo de uma chuvinha que vai abrandado. As paisagens, os cheiros, o ambiente, a alegria de ali estar e de estar vivo e a pergunta que muitas vezes me faço: Terei eu o direito de ser tão feliz?

_DSF8873.jpg

Por mim passavam mais ciclistas que resolveram fazer o percurso de forma mais solitária e pessoal, sem a companhia dos muitos que estavam para trás.

E chagámos aos sempre apetecíveis e famosos locais de abastecimento, sempre chegamos onde nos esperam, dizia Saramago, e aqui nos esperaravam pessoas de grande simpatia e amabilidade. Estes são não apenas um local de descanso e reabastecimento mas um local de verdadeiro convívio e partilha pois minguem tem pressa de comer a correr para ganhar mais uns metros. ( mais fotos dos abastecimentos no Instagram)

Chego ao local de chegada e pergunto-me se já fiz tantos Quilómetros, como foi possível ter sido tão rápido? Ia tão distraído que nem dei pelo tempo passar. E deixei-me ficar pelo centro de Gaiole, bebendo daquele ambiente de festa, de camaradagem e apenas usufruindo e fotografando.

Começa a chegar a noite, e da penumbra fria  continuam a sair participantes, que fizeram mais de 200 Km, chegam e com eles chegam sorrisos e abraços, com eles chega a felicidade de terem conseguido. Com eles chega muito calor, e a noite fica menos fria.

Passava já das dez horas quando fomos ao café comer qualquer coisa e beber um ultimo capuchino antes de nos pormos á estrada para fazer os mais de 200 km para o aeroporto de Roma. O dia que tinha começado as 4,00 ainda tinha pela frente uma viagem de carro e apanhar o avião ás 6,00 horas para Lisboa. E eis que aparece Giancarlo Brocci e uma vez mais toda a sua ternura,  simpatia e  humildade nos surpreendeu. Com um ar de quem está exausto mas feliz mete-se connosco e com a senhora do bar que para todos tem sempre um sorriso de simpatia, que também está a trabalhar desde as quatro da manhã e continua alegre pois diz que “dias não são dias e aquele dia é especial” . Giancarlo retribui-lhe com muita ternura e surpreende-a com a espontaneidade de um gesto carinhoso. Gesto simples mas que muito revela sobre este enorme ser Humano que é  Giancarlo e que retrata bem todo o espírito e emoção que é a Eroica, que é muito, mas muito  mais que um simples passeio de bicicletas..

E de coração cheio, pois não podia ter teminado de melhor forma, nos fazemos ao caminho. Até para o ano Gaiole.

De Pequenino se…

Um dos grande objetivos da Eroica é a promoção do uso da bicicleta e do desporto entre os jovens e as crianças e isso é visível de forma muito significativa nas diversas edições. Muitas crianças a participar nesta míni-Eroica em Gaiole mas sempre muitos jovens participantes por todo o mundo. A Eroica é um veiculo de promoção do desporto sim, mas do desporto pelo desporto, de forma pura e saudável, sem batota ou  com base numa competição altamente comercial e desumanizada que pretende transformar os atletas em maquinas de quebrar recordes e onde tudo vale para que isso aconteça. A Eroica quer trazer as pessoas para a rua, para que se sujem, para que se cansem, para que sintam o prazer do esforço e da persistência , da camaradagem, da victoria justa, da solidariedade e da partilha, do contacto com a natureza e com a cultura. Valores que cada vez mais fazem falta num mundo cada vez mais competitivo e individualizado onde todos tentam ganhar a todos, a todo o custo.

Uma Mesa Portuguesa, com certeza…

_DSF8154.jpg

Já sabia pelo Instagram que outros compatriotas tinham viajado de Portugal para participar neste encontro. Mas não estava preparado para o que vi, ou por outra ,estava, pois somos capazes disto e de muito mais. Esta é a nossa tradição. Bem no centro de Gaiole, na zona mais movimentada ouço falar Português e deparo-me com uma mesa bem posta, com umas belas “chouriças” prontas a ir para o assador de barro, com uma bela garrafa de vinho “Tia Ermelinda” e 3 representantes do nosso País, do melhor que temos.

O cheirinho, ahh o cheirinho que vinha daquelas chouriças a assar no lume, na canoa de barro. Veio tudo de Portugal, as chouriças,o recipiente de barro Até o bagaço para fazer a chama veio da terra. Ninguém resistia e a curiosidade de quem passava era muita. O Vinho, a curiosidade pelo vinho. Pouca gente sabe, lá fora, da qualidade e da excelência do nosso vinho e especialmente desta bela garrafa de D. Ermelinda. E a preciosidade do saca-rolhas Campagnolo, a dar o toque Italiano.

O sucesso  desta iniciativa foi enorme, quem não vinha pela vista vinha atrás do cheiro. E perguntavam de onde eram e o que era aquilo. E o vinho, que maravilha de vinho diziam, até o Presidente da Câmara Municipal veio ver o que se passava, e elogiar o magnifico néctar e as fantásticas chouriças. E sobretudo a simpatia daqueles 3 Portugueses fantásticos que se deram áquele trabalho.

Ciclo Club Lebre

São o Ciclo Clube Lebre e vieram de propósito para a Eroica, trouxeram tudo, desde as chouriças ás bicicletas, porque para fora não se vai desprevenido. Vieram par amor ás bicicletas e a esta festa magnifica de amizade e camaradagem.

Os elementos do Ciclo Club Lebre com o Presidente da Camara de Gaiole in Chianti e outros curiosos.

Os Lebre fizeram o percurso de 120 Km, infelizmente não os encontrei pelo caminho mas aqui fica este registo, feito pelos próprios e que tiveram a amabilidade de me enviar. Foi um enorme prazer ter conhecido este grupo, um orgulho. Obrigado amigos da Lebre e até breve.

Agradecimentos

_DSF8274.jpg

Ao meu amigo e companheiro de viagem Salvador. Uma vez mais á Organização da Eroica que tão bem nos trata, que nos mima de forma tão espetacular. Agradecimento especial á Ângela e ao Lívio , que são inexcedíveis na simpatia e na competência. Muito obrigado por tudo.

Aos mecânicos da  Gaudenzi que com carinho nos prepararam as nossas bicicletas.

MAIS FOTOGRAFIAS AQUI