Pedalar devagar, pedalar sem pressa de chegar, sem ansia de vencer. Gostar de bicicletas bonitas e da paisagem, gostar de o fazer com amigos ou de pedalar solitariamente. Pedalar pelo simples prazer de andar de bicicleta.

Pedaling slowly, cyling without hurry to arrive, without the urge to win. To enjoy the scenery, to enjoy to do so with friends or alone. To Pedal for the simple pleasure of riding a bike

Amigos/Friends


A Clássica, 14 de outubro de 2018 Lisboa.

A Clássica

VWEB_11Set.jpg

Serra da estrela com amigos

File018.jpg

Fim-de-semana com amigos na Serra da Estrela

Mais aqui

Sintra Mágica

File158.jpg

Mais um passeio Velo Corvo

Passeio em Sintra. Com a Velo Corvo e outros amigos aventureiros. Não de capa e espada mas de pedais e carretos bem afinados. Sobretudo com muita alegria e boa disposição. Sobretudo com enormes sorrisos no rosto. De felicidade.

Ler mais

Na Holanda

_DSF5729.jpg

Em Julho de 1936 dizia o jornalista Ortega Y Gasset,no jornal "La Nacion", de Buenos Aires :

"Os outros povos do planeta consideram a bicicleta um aparelho destinado ao jogo e ao desporto. Permite uma velocidade extraodinária com meios simples, exige algum esforço e, ao mesmo tempo, o seu uso implica um certo risco. Todas estas características confinam o velocipede ao âmbito das actividades desportivas e, entre elas, ás que requerem juventude. Apesar disso, verificamos que por todo o lado aumenta o seu uso em serviços meramente úteis. O Operário que vive em distantes subúrbios vai para o trabalho e regressa dele de bicicleta. O destribuidor de certo tipo de mercadorias e o estafeta também recorrem a ela"... ..."só a ela se recorre quando não há outro remédio ou quando a humildade dos meios económicos o impôe como uma triste necessidade. É por isso que não estranhamos: O operário mal vestido que pedala para ir para casa proclama tacitamente que preferia outro meio de transportee que usa esse precisamente não por ser o desejável mas por uma triste imposição...Mas na Holanda toda a gente anda de bicicleta, qualquer que seja a sua idade, sexo, volume, posse, e agita as pernas sobre os pedais, ia a dizer que cinicamente, isto é, como se fosse a coisa mais natural do mundo,  como se fosse o que é preciso fazer. Pois bem, é isso que errita o viajante, que causa estranheza e incompreensão: Considera-se natural e perfeito o que lhe parece inadquado e erróneo...

La Nacion, Buenos Aires. 1936

Ler Mais / Read more

Eroica Limburg 2018

_DSF5443.jpg

A edição  holandesa da Eroica é realizada na região de Limburg, a única região do país que não é plana.  É também a zona onde se realiza a mítica Clássica do ciclismo “ Amstel Gold Race”. A cidade anfitriã é Valkenburg, uma pequena e bonita cidade desta região.

The Dutch edition of Eroica is held in the region of Limburg, the only region in the country that is not flat. It is also the area where the mythical "Amstel Gold class cycling Race" is held. The host city is Valkenburg, a small and pretty city of this region.

Ler mais /Read more

_DSF2652.jpg

Anjou Vélo Vintage 2018, Saumur, França.

Ler mais/Read more

DSCF1114.jpg

A Nossa Eroica Hispania 2018

Ler mais/ Read more

DSCF1984.jpg

Eroica Hispania Parte 3

Ler mais/read more

DSCF1403.jpg

Jacek Berruti- Eroica Hispania Parte 2

Ler mais/ Read more

28872307_1043390125801425_5105060722878971904_o.jpg

Participar numa “Eroica” não é apenas participar em mais uma prova de ciclismo, em mais uma manifestação desportiva ou em mais um passeio. Participar numa “Eroica” é muito mais que isso, é participar num acto de amor ás bicicletas , á tradição, á cultura, á amizade e ao companheirismo.  Participar numa “Eroica” é partilhar a alegria e o sofrimento, é partilhar as excelentes paisagens e as dificuldades dos percursos.  É partilhar os raios de sol que nos aquecem mas também, e com gosto , a chuva que nos molha e encharca as roupas e os sapatos, que nos ensopa até aos ossos, mas que também nos lava a alma e restablece. É partilhar a alegria do reencontro ou de conhecer amigos novos, é partilhar uma refeição e beber um copo de bom vinho em boa companhia. É partilhar experiencias e paixões, é  esforçar-se de forma incondicional  apenas  por objectivos  tão simples como sejam a participação, a partilha ou a superação de si próprio. É participar num evento onde se dá valor ao esforço apenas pela beleza de o fazer.

Participating in an "Eroica" is not only to participate in another cycling event, another sporting event or another tour. To participate in "Eroica" is much more than that, it is to participate in an act of love for bicycles, tradition, culture, friendship and companionship. To participate in an "Eroica" is to share the joy and the suffering, is to share the excellent landscapes and the difficulties of the routes. It is to share the rays of the sun that warm us but also the rain that dampens us and soaks our clothes and shoes, which weaves to the bones, but which also cleanses our soul and restores us. It is sharing the joy of reunion or meeting new friends, is sharing a meal and drinking a glass of good wine in good company. It is sharing experiences and passions, and striving unconditionally only for objectives as simple as participation, sharing or overcoming yourself. It is to participate in an event where the effort is valued only for the beauty of doing it.

Ardenne Bags

_F5A0523.jpg

Podia falar-vos apenas da qualidade e da beleza dos sacos Ardenne, faria isso se falasse  apenas uma marca de sacos bons e bonitos mas a marca  Ardenne é muito mais que isso.  São sacos feitos manualmente  por alguém que gosta mesmo muito de bicicletas, de andar nelas e sobretudo que coloca muito amor no que faz.

Ler mais/Read More

Serra da Estrela

DAED6664.JPG

Subir à Torre, ponto mais alto de Portugal Continental era há muito uma vontade e um desafio. O que nunca pensei foi ter o privilégio de o fazer num dia  tão perfeito.

Ler mais/ Read More

Velo Corvo-Lisboa

_F5A0444.jpg

Estarão os artesãos a acabar? Estarão os ofícios que dependem do trabalho manual a acabar? Estarão para terminar as pequenas marcenarias, as pequenas carpintarias ou as pequenas olarias?  Enquanto houverem pessoas como o Pedro não.

Oficina das Bicicletas-Benfica

 O Salvador tinha um sonho desde criança, ter uma pequena oficina e loja de bicicletas. Finalmente conseguiu. Das suas mãos saem ternura e amor que coloca nas suas bicicletas e nas dos seu clientes. "A partir do momento em que entram esta porta as bicicletas são minhas" diz, e é como se fossem dele que as trata até serem devolvidas ao cliente muito mais felizes. O Salvador merece ter todo o sucesso do mundo.

O Salvador tinha um sonho desde criança, ter uma pequena oficina e loja de bicicletas. Finalmente conseguiu. Das suas mãos saem ternura e amor que coloca nas suas bicicletas e nas dos seu clientes. "A partir do momento em que entram esta porta as bicicletas são minhas" diz, e é como se fossem dele que as trata até serem devolvidas ao cliente muito mais felizes. O Salvador merece ter todo o sucesso do mundo.

Amendoeiras em Flôr-Foz Côa

IMG_7468.jpg

Passeio de ciclo-turismo numa das mais belas regiões de Portugal.

Cenas a Pedal-Lisboa

 A "Cenas a Pedal" é uma loja completamente diferente de todas as outras. Aposta na educação dos utilizadores de bicicleta, ensina a andar quem não sabe e tem coisas que mais ninguem tem. Para além disso tem a Ana e o Bruno que sabem coisas que ninguem mais sabe e encontram coisas que mais ninguem encontra. São espetaculares. Fica em Marvila, Lisboa e vale bem a pena visitar. Nem que seja só para conversar com eles..

A "Cenas a Pedal" é uma loja completamente diferente de todas as outras. Aposta na educação dos utilizadores de bicicleta, ensina a andar quem não sabe e tem coisas que mais ninguem tem. Para além disso tem a Ana e o Bruno que sabem coisas que ninguem mais sabe e encontram coisas que mais ninguem encontra. São espetaculares. Fica em Marvila, Lisboa e vale bem a pena visitar. Nem que seja só para conversar com eles..

Dois passeios,uma Cidade-Lisboa

                                                                 Dois passeios em Lisboa. Entre as Colinas, a Serra e o Tejo

                                                               Dois passeios em Lisboa. Entre as Colinas, a Serra e o Tejo

Mais um passeio Velo Corvo em Sintra

  "Chegado a Sintra encontro a Marie, o Pedro e o Hugo que não conhecia. A primeira paragem é nas loja de Queijadas, não se pode ir a Sintra sem se levar para o piquenique pelo menos uma dúzia. O Hugo diz que não come, alguém teve de comer as dele"

"Chegado a Sintra encontro a Marie, o Pedro e o Hugo que não conhecia. A primeira paragem é nas loja de Queijadas, não se pode ir a Sintra sem se levar para o piquenique pelo menos uma dúzia. O Hugo diz que não come, alguém teve de comer as dele"

Bicicletas em Lisboa.Existem ou não?

  Muitos Lisboetas teimam em não querer ver as bicicletas que por eles passam. Que não existem, que nunca viram nenhuma, que tudo é uma ilusão e um despesismo de rico...

Muitos Lisboetas teimam em não querer ver as bicicletas que por eles passam. Que não existem, que nunca viram nenhuma, que tudo é uma ilusão e um despesismo de rico...

Dias luminosos e felizes

IMG_6263.png

Dias luminosos e felizes. Uma viagem solitária. Descobrir Portugal de Bicicleta

De Sintra a Cascais

_F5A6034.jpg

“Zen. Mente vazia. O momento. Meditação. Tornar um passeio de bicicleta num momento meditativo. Ando de bicicleta para esvaziar a mente. Ando de bicicleta para meditar. Ando de bicicleta para andar de bicicleta. O passado não existe.O futuro não existe. Resta-nos o presente. O momento.

Pedro Gil.

L'Eroica-Gaiole in Chianti-Itália

O lugar onde todos os amantes das bicicletas deveriam poder ir pelo menos uma vez na vida.

Estarei no paraíso?  Não, ainda não, estou apenas em Gaiole in Chanti, na bonita região da Toscânia em Itália onde já se realiza há 20 anos aquela que é a prova Rainha do ciclismo clássico. A L´Eroica. Existem muitas clássicas históricas por esse mundo fora, a própria eroica já se expandiu e está já hoje presente em vários países do mundo, mas esta é especial, muito especial. Mais de 7 mil participantes vindos de todo o mundo, da Europa aos Estados Unidos, da Austrália ao Japão. Todo um mundo junto por uma única razão: Uma homenagem especial ao mais belo objecto do mundo: A bicicleta. E aos gloriosos ciclistas.

_F5A6273.jpg

Um Museu vivo do Ciclismo.

Ir à L´eroica é como participar numa enorme manifestação de nostalgia feliz, é como entrar num sonho maravilhoso do qual não queremos acordar. A primeira sensação que se tem é de estupefação, fica-se de boca aberta. Como é possível tanta beleza, como é possível um ambiente tão fantástico. Depois a excitação toma conta de nós e como crianças ansiosas numa véspera de Natal queremos ver tudo, descobrir tudo, vasculhar cada canto, abrir as prendas todas. E a magia acontece. Lembram-se do maravilhoso ambiente das ruas em Harry Potter? Por aqui é muito semelhante mas na vertente da bicicleta de época. Há de tudo: Fenomenais bicicletas antigas e cheias de história, as mais bonitas camisolas, componentes raros, aqueles chapéus que não encontramos em lado nenhum. Há  todo um mundo para descobrir. Existe sempre uma surpresa, um pormenor que nos delicia. O Belo, a beleza, a alegria, a fraternidade, o convivo franco. Por todo o lado se vêm pessoas felizes, a rirem, a disfrutar de maneira simples do que a vida tem de melhor.  Os abraços, os beijos, os reencontros...

_F5A7619.jpg

Ainda na Beira-Interior

 Como é bom passear de Bicicleta ou a pé, desfrutar da natureza, tomar banho em água pura e fresca e conversar com pessoas simpaticas e acolhedoras. Como são bons o silêncio e os ruidos agradaveis do campo. Como é boa e saborosa a acomida em boa companhia.  E ler, ler muito e voltar a passear e a tomar banho na maravilhosa água, a megulhar... Como é bom...   

Como é bom passear de Bicicleta ou a pé, desfrutar da natureza, tomar banho em água pura e fresca e conversar com pessoas simpaticas e acolhedoras. Como são bons o silêncio e os ruidos agradaveis do campo. Como é boa e saborosa a acomida em boa companhia.  E ler, ler muito e voltar a passear e a tomar banho na maravilhosa água, a megulhar... Como é bom...

 

Por uma Lisboa mais Feliz

Vou de Bicicleta

Há anos que que sonho com uma Lisboa amiga das bicicletas e dos seus ciclistas. Há anos que vou tirando fotografias destes mesmos ciclistas e destas mesmas bicicletas que vão sendo cada vez mais. Lisboa dá finalmente os primeiros passos neste sentido. Passos trôpegos por vezes é verdade, mas passos na direção certa. A bicicleta não é apenas um meio de transporte eficiente e não poluente, não são apenas uns tubos soldados com duas rodas, a bicicleta é muito mais que isso. A bicicleta pemite que cheguemos rapidamente a qualquer lugar sem necessitarmos de terceiros ou combustiveis. Uma bicicleta, na sua simplicidade, tem o condão de verdadeiramente maravilhar uma criança ou de fazer um adulto regressar á infância, coisa que parece simples mas não é nada fácil. As bicicletas fazem-nos felizes e não é difícil a bicicleta e o ciclista transformarem-se num só. Com o passar do tempo acredito que a bicicleta ganha alma, qua a bicicleta se vai transformando em algo que nos transmite sensações e sentimentos positivos. A bicicleta é uma companheira de aventuras, é uma amiga com que podemos contar. Quantas vezes em cima de uma bicicleta já resolvemos problemas que tínhamos para resolver, quantas vezes transformamos o nosso estado de espírito apenas por termos a sua companhia. A alegria do vento na cara numa descida, a adrenalina de uma curva mais apertada, a sensação de conquista quando se supera uma boa subida, as maravilhas da paisagem que nos permite observar de local privilegiado, o prazer da solidão ou da companhia chegada dos amigos. Tudo isto e muito mais uma bicicleta nos proporciona. De bicicleta podemos ir namorar, podemos ir para a escola, podemos sair à noite ...de bicicleta podemos ser muito mais felizes. Estarei a ser demasiado romântico? Talvez para alguns mas os que como eu gostam de andar de bicicleta e de tudo os que as rodeia suspeito bem que não. Estas fotografias já têm algum tempo e refletem apenas o que fui fotografando nestes últimos anos pelas ruas de Lisboa. Podiam ser muitas outras, muitas mesmo e têm como objectivo mostrar que a deslocação de bicicleta em Lisboa é fácil e que tudo se pode fazer com ela. Têm apenas como objectivo despretensioso mostrar que de bicicleta, Lisboa, pode ser uma cidade muito mais feliz, que estes exemplos podem ser multiplicados. Muito obrigado a todos que acederam a participar, muito obrigado a todos que ao longo deste tempo se têm deixado fotografar por mim nas ruas de Lisboa

Serra da Gardunha-Fundão

A Serra da Gardunha sempre tem vivido na sombra da sua irmã mais famosa, a Serra da Estrela. É mais pequena, mais modesta e discreta mas nem por isso menos bela e interessante. Bem pelo contrário.

The Serra da Gardunha (Gardunha Mountain) has always lived in the shadow of its most famous sister, the Serra da Estrela. It is smaller, more modest and discreet, but not less beautiful and interesting. Quite the contrary.

Para quem gosta de tranquilidade este é o local ideal e beleza natural não lhe falta. Aldeias antigas e bonitas também não. São variados os bosques, as vistas  são magníficas e a simpatia das gentes da beira interior é uma referência. Nesta zona todas as épocas do ano são interessantes: O Inverno, com o frio e o quentinho acolhedor das Lareiras e da boa comida. O Verão, com a beleza das águas frescas que correm e do verde refrescante das árvores. O Outono, com as suas magníficas cores e as saborosas castanhas.  A Primavera, com a explosão de cores e cheiros da vegetação e sobretudo com a floração da grande vedeta da zona: A Cerejeira. Nesta altura a Serra e a região cobrem-se de branco, não por causa da neve, mas por causa da côr branca da flor da Cerejeira. Um espetáculo a não perder que depois continua quando estas se carregam do saboroso e apreciado fruto.  Por todo o lado se vêm Cerejeiras carregadas do pequeno fruto vermelho e é fácil para um visitante desprevenido comer uma caixa delas muito rapidamente.  Porque as “cerejas são como as conversas”... e todos sabemos como estas são. A Cereja é motivo de celebração e confraternização. Exemplo disso é a Festa da Cereja em Alcongosta.  A terra enche-se de vida e abrem-se mercearias e lojas à muito fechadas. Estas são cuidadosamente decoradas para a ocasião.  Por todo o lado se vendem Cerejas e seu derivados: Compotas de Cereja, licores de Cereja, pastéis de Cereja...É a Cereja em todo o seu esplendor.

For those who like tranquillity this is the ideal place and there is no lack of natural beauty or sncient and beautiful villages. They are various kinds of Forests, the views are magnificent and the friendliness of the people of the Region (Beira Interior) is a reference ..In this area all times of the year are interesting: The Winter, with the cold and the cozy warm of the fireplaces and good food. The summer, with the beauty of the fresh waters that flow and the refreshing green of the trees; the Autumn, with its magnificent colours and the tasty chestnuts. The spring, with the explosion of colours and smells of the vegetation and above all with the flowering of the great star of the Zone: The Cherry tree.At this point the Serra and the region are covered in white, not because of the snow, but because of the white colour of the Cherry blossom. A spectacle not to be missed which continues when the trees carry the tasty and appreciated fruit. Everywhere you can see Cherry trees loaded with red fruit and it is easy for an unprepared visitor to eat a box of them very quickly. Because "cherries are like aconversation" ... and we all know how these are, one is never enough.The cherry is a reason for celebration and fraternization. An example of this is the Cherry Festival in Alcongosta. The town is full of life and grocers and shops are opened that were closed for a long time. These shops are carefully decorated for the occasion. Cherries and their derivatives are sold everywhere: Cherry jams, cherry liqueurs,Cherry pastry ... It's the Cherry in all its splendor.

Festa da Cereja, Alcongosta. Cherry Festival, Alcongosta

A Serra e a Bicicleta/The mountain and the Bike

Ao contrário de muitos outros locais a Serra da Gardunha e a CM do Fundão têm preparados e bem sinalizados vários percursos de BTT, de Caminhada e de Bicicleta de estrada. Existe informação completa no Posto de Turismo do Fundão mas mesmo indo à aventura é fácil dar com os caminhos.  A subida da Serra desde o Fundão é de dificuldade media e qualquer pessoa minimamente preparada sobe com relativa facilidade. Uma das grandes vantagens em relação á vizinha Serra da Estrela é esta relativa facilidade com que se sobe e sobretudo o sossego e a tranquilidade com que se faz a subida pois o trafego automóvel é mesmo muito reduzido. Para além disso as vistas são de tal ordem magníficas que é muito fácil nos esquecermos que estamos a subir.

Unlike many other places, the Serra da Gardunha and the Municipality of Fundão have prepared and well identified several routes for Mountain bikes, Hiking and Road bicycle. There is complete information of the Fundão Tourist Office but even if you go without preparation it is easy to find the way. The climb of the Serra from the Fundão is of medium difficulty and any minimally prepared person climbs with relative ease. One of the great advantages in relation to the neighbouring Serra da Estrela is this relative ease with which one rises and above all the tranquillity with which the ascent is made, since there is very little car traffic. In addition the views are so magnificent that it is very easy to forget that we are climbing.

Com a minha bicicleta antiga, toda em aço, subi com facilidade e depois da Casa do Guarda ainda subi á torre de vigia por uma  estrada de terra em bom estado. Penso que conseguirão imaginar a beleza e o prazer da descida, a cereja no topo do bolo guardada para o final. Até aqui existe uma cereja.

With my old bicycle, all in steel, I climbed easily and after the Guard House still climbed to the watchtower by a dirt road in good condition. I think you can imagine the beauty and pleasure of the descent, the cherry/icing on top of the cake for the end.

Esta é uma região de excelência para a pratica de ciclismo de lazer e turismo activo e sustentável. Tem todas as condições para isso e parece que a CM do Fundão percebe isso e está atenta o que é de salientar e saudar. Se estão à espera de multidões e muita animação o local não é este. Mas se procuram tranquilidade, beleza natural, locais bonitos, piscinas naturais onde dar belos e revitalizadores mergulhos, boa comida e vinho e a animação saudável e fraterna das festas de aldeia então este é o local ideal.

This is a region of excellence for the practice of active and sustainable leisure and tourism cycling. It has all the conditions for it and it has to be saluted and welcomed that the CM of Fundão (Municipality) realizes this and is attentive. If you are expecting crowds and lots of excitement this is not the place. But if you are looking for tranquillity, natural beauty, beautiful places, natural pools where you can have beautiful and revitalizing dives, good food and wine and the healthy and fraternal animation of the village celebrations, then this is the ideal place.

Onde Ficar/Where to stay

Existem muitas possibilidades no Fundão e Arredores mas para quem gosta mesmo de sossego e silêncio, de vistas magníficas ou de estar sob um capacete de Estrelas à noite aconselho que visitem o "Natura Glamping Gardunha" que é realmenteum local com uma localização privilegiada e um excelente serviço.

There are many possibilities in Fundão and Surroundings but for those who really enjoy quiet and silence, magnificent views or being under a Stars Helmet at night I advise you to visit the Natura Glamping Gardunha which is truly a place with a privileged location and excellent service .

Na pequena lojinha do Natura Glamping encontra-se um pouco de tudo dos produtos da região,: Mel, licores, artesanato ...mas o que me chamou mais à atenção foram os bonitos e elegantes sacos feitos á mão e com muito carinho pela muito simpatica Ana Pereira com a marca "Ninices"... As influencias beirãs e os materiais usados dão aos sacos uma rusticidade e uma ternura muto próprias de toda esta região.

In the small shop of Natura Glamping you will find a bit of everything from the region's products: Honey, liqueurs, handicrafts ... but what attracted me most were the beautiful and elegant bags made by hand with much care by Ana Pereira (ninices)..... The Beira (region) influences and the materials used give the bags a rusticity and a tenderness that is characteristic of this region.

Exposição "Uma Lisboa ciclista"

tumblr_ncdmqj9TNP1twnbjoo1_1280.jpg

EXPOSIÇÃO "UMA LISBOA CICLISTA"

Através destas fotografias é possível testemunhar  a evolução da bicicleta em contexto urbano em Lisboa. Em 2014 foi-lhe atribuído “Prémio Nacional de Mobilidade em Bicicleta ”Este prémio anual é promovido pela Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB) uma instituição que desde 1987 tanto tem feito pela promoção da bicicleta no nosso País. 

Desde o inicio, já lá vão 10 anos, que no blogue “Diário de Lisboa” e posteriormente no “Uma Lisboa Ciclista”, venho publicando fotografias de pessoas com bicicletas nas ruas de Lisboa.  Este conjunto de fotografias deu origem a uma exposição que inaugurou no Vélocité Café e que entretanto já passou pelo XI Congresso Ibérico “A Bicicleta e a Cidade”, pelos corredores da Assembleia da República Portuguesa, pela sede da ANSR (Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária) , pela a Agencia Portuguesa de Ambiente , pelo Ministério do Ambiente, pelo parque Ecológico de Gaia e por diversos Municípios do País.

Agradecimentos: A todos os fotografados, aos que cujas fotografias participaram na exposição e também aos que por motivos de espaço não foi possível colocar. Ao João Camolas e ao Rui Amador do Vélocité Café que inicialmente me desafiaram para fazer esta exposição, e às instituições que mostraram interesse  em expor. Á Matilha Cycle Crew e à Magnésio design por toda a paciência e trabalho. Á FPCUB um agradecimento muito especial pela distinção e pelo enorme  apoio dado na divulgação desta exposição.

A todos que de alguma forma têm contribuído para este blogue, agora chamado  Lisbon Cycling e para a realização deste projecto que visa a promoção da utilização da bicicleta em Lisboa e no Mundo. 

Muito obrigado. 

AL

EXHIBITION "LISBON CYCLIST"

Through these photographs it is possible to witness the evolution of the bicycle in an urban context in Lisbon. In 2014 the exhibition  was awarded the "National Bicycle Mobility Award"This annual prize is promoted by the Portuguese Cycling Federation and Bicycle Users (FPCUB) an institution that since 1987 has done so much for the promotion of cycling in our country.

Since the beginning, 10 years ago, in the blog "Diário de Lisboa" and later in "A Lisboa Ciclista", I have been publishing photographs of people with bicycles on the streets of Lisbon. These sets of photographs gave rise to an exhibition had it's debut at the Vélocité Café and which has since passed through the XI Iberian Congress "The Bicycle and the City", the corridors of the Assembly of the Portuguese Republic, the ANSR (National Authority for Road Safety) , the Portuguese Environment Agency, the Ministry of the Environment, the Gaia Ecological Park and several municipalities in the country.

Acknowledgments: To all those photographed, to those whose photographs participated in the exhibition and also to those who for reasons of space could not be placed. To João Camolas and Rui Amador of  Vélocité Café who initially challenged me to do this exhibition, and the institutions that showed interest in exhibiting. The Cycle Crew Pack and the Magnesium design for all the patience and hard work. To FPCUB a very special thanks for the distinction and the enormous support given in the dissemination of this exhibition.To all who have contributed to this blog, now called Lisbon Cycling and for the realization of this project that aims to promote the use of cycling in Lisbon and the World.

Thank you very much.

AL

LISBOA

Uma cidade que como se fosse uma criança dá as primeiras pedaladas com alguns trambolhões. Tudo está a mudar rapidamente e o fenómeno é irreversível. Lisboa está, definitivamente, muito mais Ciclista. Lisboa será sempre o centro das minhas atenções, as mudanças na Cidade, nas suas infraestruturas, na mentalidade das pessoas. Lisboa, os seus ciclistas e as suas Bicicletas. Lisboa...Uma paixão.

A city that as if it were a child takes the first few pedals with a few tumbles. Everything is changing rapidly and the phenomenon is irreversible. Lisbon is definitely a lot more Cyclist. Lisbon will always be the center of my attention, the changes in the City, in its infrastructures, in the mentality of the people. Lisbon and its cyclists and its Bicycles. Lisbon ... A passion.

 O FIM DO MITO DAS 7 COLINAS

 Em Lisboa o mito das 7 colinas pervaleceu durante anos e anos. Que era impossivel andar de bicicleta, isso eram coisas das outras cidades da Europa, mais planas e com climas mais apropriados. Parace que estes mitos finalmente cairam e Lisboa ,fruto da insistencia de muitos está cada vez mais ciclavel. Novas infra-estruturas mas sobretudo novas mentalidaes estão a mudar a cidade. Cada vez se vêm mais e mais ciclistas em Lisboa. As colinas afinal parece que apenas servem para nos levar a vistas bonitas. Deixaram de ser um mito.       In Lisbon the myth of the 7 hills has prevailed for years and years. The myth that it was impossible to ride a bicycle,  that these were things of the other cities of Europe, flatter and with more appropriate climates. It seems that this myth has finally fallen and Lisbon, fruit of the insistence of many is increasingly ciclavel. New infrastructures, but above all new mentalities are changing the city. More and more cyclists are coming to Lisbon. The hills after all .. seem to only serve to take us to beautiful views. They ceased to be an obstacle, the myth has been proved false.                                                                               

Em Lisboa o mito das 7 colinas pervaleceu durante anos e anos. Que era impossivel andar de bicicleta, isso eram coisas das outras cidades da Europa, mais planas e com climas mais apropriados. Parace que estes mitos finalmente cairam e Lisboa ,fruto da insistencia de muitos está cada vez mais ciclavel. Novas infra-estruturas mas sobretudo novas mentalidaes estão a mudar a cidade. Cada vez se vêm mais e mais ciclistas em Lisboa. As colinas afinal parece que apenas servem para nos levar a vistas bonitas. Deixaram de ser um mito.   

In Lisbon the myth of the 7 hills has prevailed for years and years. The myth that it was impossible to ride a bicycle,  that these were things of the other cities of Europe, flatter and with more appropriate climates. It seems that this myth has finally fallen and Lisbon, fruit of the insistence of many is increasingly ciclavel. New infrastructures, but above all new mentalities are changing the city. More and more cyclists are coming to Lisbon. The hills after all .. seem to only serve to take us to beautiful views. They ceased to be an obstacle, the myth has been proved false.

                                                                           

PESSOAS QUE AJUDAM A MUDAR UMA CIDADE

_MG_8231.jpg
IMG_44-2.jpg

A Bicicleta e o Tejo

The Tagus River is one of great loves of the "Lisboners" (inhabitants of Lisbon). Without it, the City would not exist. It is a place of great beauty, contemplation or dating, one of the most beautiful urban riverside fronts in the world. It is along this precious river that the "Lisboners" most like to ride a bicycle.

Mais fotografias aqui/ More Photos here

 

 

 

LISBOA, 3 DE JUNHO DE 2017, 4 HORAS DA MANHÃ

É com a excitação de uma criança que parte numa viagem à muito desejada que me levanto e me preparo para fazer os 820 Km que separam Lisboa de Cenicero em Espanha. Depois de algumas horas de condução chego finalmente ao meu destino. Não queria acreditar no que via, gente por todo o lado com fantásticas bicicletas, uma Vila engalanada a preceito, um ambiente fantástico e muito acolhedor. Nas diversas bancas instaladas numa feira de produtos relacionados com a bicicleta todos apreciavam os mais diversos tipos de peças, camisolas de lã de merino ou bicicletas antigas. Estavam também representadas as marcas patrocinadoras do evento com os seus produtos, mas sem serem demasiado ostensivas.. Estava verdadeiramente impressionado. A complementar esta feira haviam exposições e as ruas e os cafés estavam decorados em conformidade. No coreto da praça central bandas tocavam e as boas vindas eram dadas a
todos os participantes e visitantes. Pelas ruas viam-se ciclistas felizes de um lado para o outro, num beco uma oficina montada na rua afinava gratuitamente todas as bicicletas para que ficassem impecáveis e bonitas para o dia seguinte. Impressionante como se sentia a paixãodas bicicletas por todo o lado. A primeira impressão superou todas as expectativas.

LISBON, JUNE 3, 2017, 4 HOURS OF MORNING.

It is with the excitement of a child who sets off on must desired journey that I get up and prepare to do the 820 km that separate Lisbon from Cenicero in Spain. After several hours of driving I finally reach my destination. I couldn't believe what I saw, People everywhere with amazing bikes, a village thoughtfully dressed up, a fantastic and welcoming environment. In the various Benches in the fair, with products related to bicycles, everyone appreciated the most diverse type of bike pieces, Merino wool sweaters or old bicycles. The sponsoring brands of the event were also represented with their products. I was truly impressed.  Exhibits in the village and the decorated streets and cafes round up the event.  On the Bandstand in the central square music bands gave their welcome to all participants and visitors. Cyclists filled the streets, cycling happy from one side to the other, in an alley a workshop set up on the street checked the bikes for free so that they would be prepared and pretty for the next day. The passion for Bicycles was felt everywhere. My first impression surpassed all my expectations.

_F5A2627.jpg
_F5A1100.jpg

A marca Otero é uma referência em Espanha e no mundo do ciclismo. Foi com esta marca que Espanha se sagrou campeã Olímpica de ciclismo pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de Barcelona. É uma empresa familiar e existe desde 1927, quando foi fundada por Don Henrique Otero. Os seus descendentes continuam a beber do espírito de romantismo e aventura que levou á criação da marca e mantêm o negocio e o amor ás bicicletas.Tive conhecimento desta clássica na “Eroica Hispania” e, sobretudo, pela simpatia das pessoas com quem falei fiquei logo com vontade de ir. Prometi que ia e assim aconteceu. Afinal Madrid é aqui ao lado e o ciclismo clássico tem para mim uma atracão cada vez maior. Era quase meio dia de sábado quando eu e o Salvador, meu companheiro nesta aventura, saímos de Lisboa em direção a Madrid, mais concretamente a San Lorenzo de el Escorial onde se iniciaria o passeio. Apesar das reclamações constantes do Salvador pela falta de ar- condicionado no nosso transporte a viagem correu sem sobressaltos e ao final da tarde estávamos a montar as nossas tendas no parque de campismo local. No dia seguinte foi mais complicado pois não conseguíamos encontrar o local de partida que se situava num enorme pátio, salvou-nos um policia local e a amabilidade contagiante de Sol Otero, a grande timoneira das “Bicicletas Otero”. San Lorenzo de el Escorial é uma cidade histórica nos arredores de Madrid, onde o perfume e as cores de outono se começam já a fazer sentir e contrastam com a beleza austera dos edifícios construídos pela realeza Espanhola. Cidade muito bonita e que vale a pena visitar. Por entre o verde da paisagemas estradas de excelente piso fizeram as delicias de todos. Nas subidas ninguém era deixado para trás e a segurança de todos foi mesmo muito levada a sério. Excelente também o abastecimento com comida muito variada e a excelente “Paella” servida no final a todos os participantes. De realçar o companheirismo, a   simpatia  de todos os presentes que fizeram da “Classica Otero” uma experiência a repetir.

_F5A1093.jpg

La marca Otero es una referencia en España y en el mundo del ciclismo. Con esta marca, España se ha sagrado campeón olímpico de ciclismo por primera vez en los Juegos Olímpicos de Barcelona. Es una empresa familiar y existe desde 1927, cuando fue fundada por Don Henrique Otero. Sus descendientes continúan bebiendo del espíritu de romanticismo y aventura que llevó a la creación de la marca y mantienen el negocio y el amor a las bicicletas .He tenido conocimiento de esta clásica en la "Eroica Hispania" y, sobre todo, por la simpatía de las personas con quienes hablé me uedé con ganas de ir. Prometi que iba y así sucedió.  Madrid está aquí al lado y el ciclismo clásico tiene para mí una atracción cada vez mayor. Era casi medio día de sábado cuando yo y  Salvador, mi compañero en esta aventura, salimos de Lisboa hacia Madrid, más concretamente a San Lorenzo de ell Escorial donde se iniciaría el paseo. A pesar de las reclamaciones constantes de Salvador por la falta de aire acondicionado en nuestro transporte el viaje corrió sin sobresaltos y al final de la tarde estábamos montando nuestras tiendas en el camping local. Al día siguiente fue más complicado porque no pudimos encontrar el lugar de partida que se situaba en un enorme patio, nos salvó un policía local y la amabilidad contagiosa de Sol Otero, la gran timonel de las "Bicicletas Otero". San Lorenzo de el Escorial es una ciudad histórica en las afueras de Madrid, donde el perfume y los colores de otoño se empiezan ya a sentir y contrastan con la belleza austera de los edificios construidos por la realeza española. Ciudad muy bonita y que vale la pena visitar. También sus alrededores y fue por los que se desarrolló esta clásica. Por entre el verde del paisaje las carreteras de excelente piso hicieron las delicias de todos. En las subidas nadie se dejaba atrás y la seguridad de todos fue incluso muy tomada en serio. Excelente también el abastecimiento con comida muy variada y la excelente "Paella" servida al final a todos los participantes. De realzar el compañerismo, la simpatía de todos los presentes que hicieron de la "Classica Otero" una experiencia a repetir.

 Agradecimentos especiais a toda a “família Otero” por toda a gentileza e apoio.  Agradecimientos especiales a toda la "familia Otero" por toda la gentileza y apoyo.   

Agradecimentos especiais a toda a “família Otero” por toda a gentileza e apoio.

Agradecimientos especiales a toda la "familia Otero" por toda la gentileza y apoyo.

 

Continua no blog , mais fotografias no instagram, lisboncycling e no Facebook

TWEED RUN-LONDON

               Toda a tradição Britanica num passeio de Bicicleta por Londres

Tweed, musica a condizer, o chá das 5, bicicletas fabulosas. Ninguém como os Britanicos para manterem vivas a suas peculiares tradições. Um passeido de bicicleta pelas ruas de Londres é o pretexto para que todos de vistam a rigor e claro se façam acompanhar pelas suas bonitas bicicletas. Tudo é estilo e tradição à Inglesa. Tudo é rigorosamente programado. Confesso que quando fui a este passeio estava à espera que aparecessem umas quantas pessoas vestidas a rigor, a surpresa foi enorme quando vi que toda a gente assim o fazia com orgulho. O passeio começou em Somerset House, teve paragem para o típico chá Inglês em Guildhall e para um maravilhoso piquenique , no não menos maravilhoso jardim de Russel Square e por fim para um copo de champanhe. Terminou num local fantástico, St. James of Clerknwell junto a um “Pub” onde se beberam umas óptimas cervejas que tão bem souberam depois de tantos quilómetros a pedalar. Espero que estas fotografias vos inspirem a andar mais de bicicleta onde quer que se estejam, que inspirem Lisboa a pedalar mais e mais para que ainda melhores condições de circulação sejam criadas e que sirvam para mostrar que a maravilhosa sensação que é andar de bicicleta não tem fronteiras nem idades e que podemos entrar nela de diversas formas. Embora a um estilo destes seja mesmo muito difícil resistir. 

Agradecimentos : Hannah O’loughlin da Tweed Run, Vélocité café em Lisboa. Tokio Bike em Londres

Texto e fotografias:Lisbon Cycling/Artur Lourenço

                                                                                                    THE END

Instagram